Banner topo

header ads

"Olheiras" do tráfico são condenadas a dois anos de prisão em Araçatuba


A Justiça Estadual de Araçatuba condenou Thayla Gabrielly Moraes e Kerolyn Cristine Ferreira Sales, a dois anos de prisão e multa. As duas mulheres foram denunciadas por favorecimento ao tráfico de drogas depois de terem sido presas em abril deste ano, acusadas de atuarem como “olheiras” para traficantes de drogas do bairro São José.

A sentença foi proferida nesta quinta-feira (14) pelo juiz da 3.ª Vara Criminal de Araçatuba, Emerson Sumariva Júnior, que converteu a pena de prisão por duas restritivas de direito. Elas terão que prestar serviços à comunidade por dois anos e pagar o valor de um salário mínimo, que hoje corresponde a R$ 1.100,00, para uma instituição beneficente da cidade.

Na mesma sentença, o juiz condenou também Marcos Rogério Quintana de Faria a seis anos de prisão por tráfico de drogas. No caso dele, foi determinado o regime fechado para início do cumprimento da pena por ser reincidente. Cabe recurso da decisão.

Faria foi preso pela última vez na mesma ação que resultou na prisão das duas mulheres, com cinco porções de maconha e R$ 96 em notas diversas.

 

NO FACEBOOK

Na época da prisão, o comportamento de uma das moças chamou a atenção pela ousadia, fazendo com que ela voltasse para a cadeia logo após ter sido solta numa audiência de custódia.

A jovem em questão foi Thayla. Ela usou a rede social Facebook para fazer uma live, na qual confirmou que trabalhava para traficantes e debochou da atuação da polícia. Matéria da prisão

Com informações do Portal 018 News

Postar um comentário

0 Comentários